Temas mais buscados em abril de 2020: Ventilação mecânica

Surgiu uma controvérsia em relação ao tratamento de alguns pacientes com Covid-19 (sigla do inglês, Coronavirus Disease 2019) grave. Questões acerca de quais são os protocolos adequados e sobre o racionamento do tratamento fizeram com que a ventilação mecânica se tornasse o tema mais importante desta semana.

Alguns médicos tratando de pacientes com Covid-19 e pneumonia têm questionado se os protocolos convencionais de tratamento da síndrome do desconforto respiratório agudo (SDRA) são a melhor estratégia terapêutica, dado que a doença pode se assemelhar mais ao edema pulmonar de altas altitudes (EPAA) em alguns pacientes.

Em uma Carta ao Editor publicada no periódico American Journal of Respiratory and Critical Care Medicine em 30 de março, o Dr. Luciano Gattinoni, médico da Universitätsmedizin Göttingen, na Alemanha, e colaboradores, sugerem que o uso de protocolos de ventilação mecânica na Covid-19 pode fazer mais mal do que bem. Dr. Luciano e colaboradores recomendam que os médicos usem a menor pressão positiva expiratória final (PEEP, sigla do inglês, Positive End-Expiratory Pressure) possível e ventilação suave em vez de alta PEEP para “ganhar tempo com o mínimo de lesão adicional”.

O Dr. Cameron Kyle-Sidell, médico intensivista nos Estados Unidos, concordou com o Dr. Luciano em uma entrevista sobre esse assunto. O Dr. Cameron disse ter observado dois fenótipos diferentes entre os pacientes com pneumonia por Covid-19: um no qual o pulmão tem alta complacência e baixa elastância e outro no qual o pulmão tem baixa complacência e alta elastância. Os dois médicos, Dr. Cameron e Dr. Luciano, preconizam modificações nas diretrizes de conduta para pacientes com Covid-19 grave, previstas para serem publicadas no periódico Intensive Care Medicine. Essas diretrizes são da Surviving Sepsis Campaign, uma colaboração conjunta da Society of Critical Care Medicine e da European Society of Intensive Care Medicine.

Além das preocupações sobre as melhores estratégias de ventilação mecânica, surgiram questões sobre o racionamento de respiradores. Foram divulgadas informações que vários estados norte-americanos estavam planejando racionar o uso da ventilação mecânica e outros tratamentos essenciais para a Covid-19, de acordo com características dos pacientes como idade, estado geral de saúde e deficiências. O diretor do Health and Human Services’ Office for Civil Rights publicou uma nota afirmando que os pacientes com deficiências “não devem deixar de receber assistência médica com base em estereótipos, avaliações de qualidade de vida ou julgamentos de valor relativos a alguém com ou sem deficiências”.

Enquanto países em todo o mundo enfrentam uma potencial escassez de ventiladores mecânicos e outros tratamentos que podem salvar a vida dos pacientes com Covid-19 grave, os especialistas em ética estão avaliando o assunto. O Dr. Arthur L. Caplan, Ph.D., revisou cerca de 70 políticas de diferentes sistemas hospitalares e destacou os principais aspectos. Além de reiterar que nenhuma “categoria de pessoas” deve ter o acesso a determinados tratamentos negado, o Dr. Art identificou fatores essenciais na busca de “salvar o maior número de vidas possível”. Esses foram idade, o fato de o paciente ser profissional de saúde e a existência de comorbidade importante. O Dr. Art também sugeriu que “podemos nos deparar com a situação de precisar retirar alguém que está no respirador há oito ou nove dias e não está respondendo, ao chegar alguém jovem e saudável, que aparentemente se beneficiaria mais da ventilação mecânica”.

A questão do uso de ventilação mecânica tende a persistir enquanto o número de casos de Covid-19 continuar a aumentar. Protocolos e diretrizes mais refinados sobre o racionamento são ansiosamente aguardados

Fonte:  portugues.medscape.com/verartigo/6504718

Acesse nossos serviços

Contate-nos | G&A Imports Brasil
INSCREVA-SE EM NOSSA NEWSLETTER E RECEBA NOSSOS MELHORES CONTEÚDOS!

A EMPRESA / COMPANY

SERVIÇOS / SERVICES

CONTATO / CONTACT

Atibaia/SP | Brazil

Phones: +55 11 4217-6282

              + 55 11 4413-0441

contato@gaimportsbrasil.com.br

G e A Imports Brasil - Portuguese version
G e A Imports Brasil - English version